sábado, 29 de janeiro de 2011


« Sempre sonhei ser enorme, agora sei que ser pequena tem muito mais valor. Sempre senti a necessidade de me mostrar, de me afirmar, nunca obtive nada. Já estive num canto escuro e houve quem me visse chorar e, com um sorriso do tamanho do mundo me levantasse. Tenho o maior orgulho no que me tornei, sei que sou importante para muitos, e eles sabem que o sentimento é mútuo. Vivo de momentos simples, e aprendi que na simplicidade se encontram as coisas mais puras, bonitas, e mais sábias da vida. Nem sempre distingo o que é bom ou mau para mim. Por vezes sonho alto demais e mais tarde desiludo-me e lamento-me. Aí olho para o espelho, sorrio e digo para mim que foi apenas um dia mau de muitos na vida, que é assim mesmo: chorar, sorrir, iludir, desiludir, cair, levantar, guardar, largar, pintar e apagar. Gosto de me sentir livre e sem rumo, gosto de me sentir desorientada, gosto de adrenalina. Gosto de sentir o calor do sol, e as gotas da chuva, gosto de sentir que o chão escorrega, gosto de ir à luta ! A vida, sem estas emoções, não era nada. Adoro desafiar a minha rotina, todos os dias apanho o mesmo autocarro, vou para o mesmo sítio, vejo as mesmas caras, mas abstraiu-me de tudo o que é irrelevante e todos os dias reparo em algo que sempre ali esteve mas eu nunca tinha dado importância. Conheço profundamente o significado da palavra felicidade, e tenho todo o prazer e orgulho em afirmar que sou FELIZ. É esta a vida com que sempre sonhei, é esta. Com dedicação atingirei os meus fins, sonhos de pequenina. »

2 comentários:

Natalia disse...

eu também tenho orgulho de ti **

Jess disse...

muito bonito

Seguidores